Tradição e inovação

A Revista Brasileira de Música (RBM) é o primeiro periódico acadêmico-científico sobre música no Brasil, fundado sob a tutela da mais antiga instituição de ensino musical deste país, a atual Escola de Música da UFRJ, que completa agora 167 anos. A criação da Revista Brasileira de Música, em 1934, pelo então diretor do Instituto Nacional de Música, o professor Guilherme Fontainha, foi consequência direta da reforma implementada três anos antes por Luciano Gallet, por ocasião da incorporação do então Instituto Nacional de Música à estrutura da recém-criada Universidade do Rio de Janeiro, mais tarde denominada Universidade do Brasil, hoje a reconhecida Universidade Federal do Rio de Janeiro.


Foto: Arquivo EM/UFRJ


Luiz Heitor Correa de Azevedo, primeiro editor da RBM, em foto de 1938, folheando a publicação.
   
Periódico de tradição, a Revista Brasileira de Música contou com co­la­bo­ra­do­res como Mário de Andrade, Luís Hei­tor Cor­rea de A­ze­ve­do, Ay­res de An­dra­de e, mais recentement­e, Robert Stevenson, Gerard Béhague, Régis Duprat, Ricardo Tacuchian, Ilza Nogueira, Elizabeth Travassos, Samuel Araújo e Cristina Magaldi, entre outros.

Em 2008 a Revista Brasileira de Música passou a constituir-se numa publicação do Programa de Pós-graduação em Música, este que é o primeiro do país, completa agora 30 anos e assume o desafio de se adequar às exigências dos sistemas indexadores contemporâneos em busca de um extrato indicativo de qualidade. Uma dessas refere-se à composição do Conselho Editorial, constituído por especialistas de reconhecida competência e larga experiência na área, vinculados a instituições diversas em abrangência nacional e internacional. O Conselho Editorial está composto por colegas do Brasil e do exterior, engajados nesse projeto institucional enraizado na tradição acadêmica que tem como prioridade manter o nível de excelência desejado para a RBM. Nesse intuito conta também com um corpo de pareceristas ad hoc, constituído por pesquisadores nacionais e internacionais de diversas instituições.

Em sua nova fase, a Revista Brasileira de Música visa a incentivar a pesquisa em música nas diversas abordagens interdisciplinares, mantendo o seu amplo escopo sobre todos os ramos da música. Tradicional veículo de difusão dos assuntos relacionados à música brasileira e no Brasil, a RBM considera oportunas as contribuições sobre questões relacionadas a outras regiões culturais que possam promover o diálogo com a comunidade internacional de especialistas, bem como amplas discussões concernentes à área. Cada volume está organizado em seções de artigos acadêmicocientíficos, de memória, de resenhas, de entrevista e é concluído pela seção de arquivo de música brasileira, constituída de texto introdutório e edição de obra musical oriunda da Coleção de Manuscritos Musicais da Biblioteca Alberto Nepomuceno, da Escola de Música da UFRJ. Sempre que possível os volumes serão organizados em eixos temáticos propostos pelo Conselho Editorial ou extraídos do conjunto substancial dos artigos selecionados para publicação. Desse modo, a RBM buscará estimular o debate, a crítica e a inovação, bem como captar e refletir as tendências, temáticas e questões norteadoras da pesquisa em música no momento.

A RBM dirige-se à comunidade acadêmico-científica em seu amplo espectro de pesquisadores da música, músicos, historiadores, antropólogos, sociólogos e estudiosos da cultura e áreas afins. Com periodicidade semestral e distribuição nacional e internacional, a RBM apresenta-se em versão impressa e eletrônica. A revista é gentilmente distribuída para bibliotecas, universidades e demais instituições de natureza educacional, científica e cultural, do Brasil e do exterior, que tenham interesse na música brasileira, latino ou ibero-americana. Solicita-se permuta aos demais periódicos afins. A versão eletrônica encontra-se disponível gratuitamente no nosso endereço eletrônico. Atualmente a RBM está indexada nas bases RILM Abstracts of Music Literature, Bibliografia Musical Brasileira da Academia Brasileira de Música e The Music Index-EBSCO – este último licenciado a disseminar o seu conteúdo.